Sustentabilidade
0

O lugar de cada lixo

Texto por Kamyla Jardim  |  Fotos Divulgação Em todo o Brasil, apenas 766 dos 5.565 municípios possuem programa de coleta seletiva, conforme pesquisa realizada pelo Compromisso Empresarial pela Reciclagem (Cempre), este número representa 27 milhões de pessoas, apenas 12% da população brasileira. Apesar de ser baixo, o número foi ainda pior. O órgão informa que […]

Texto por Kamyla Jardim  |  Fotos Divulgação

Em todo o Brasil, apenas 766 dos 5.565 municípios possuem programa de coleta seletiva, conforme pesquisa realizada pelo Compromisso Empresarial pela Reciclagem (Cempre), este número representa 27 milhões de pessoas, apenas 12% da população brasileira. Apesar de ser baixo, o número foi ainda pior. O órgão informa que em 1994, apenas 81 cidades brasileiras ofereciam esse tipo de serviço à população. Estima-se que a produção de lixo no Brasil seja de 193.642 toneladas por dia. Entretanto, mais de 24 mil toneladas de lixo deixam de ser coletados e são descartados de forma irregular diariamente. Estudos do Ipea projetam que o país perde R$ 8 bilhões de reais anualmente com o descarte incorreto de resíduos que poderiam ser reaproveitados.

Projeções feitas pela LCA Consultoria com as cidades sede da Copa do Mundo de 2014 apontaram que o país registraria benefício econômico de R$1,1 milhão por dia, caso 90% da população das cidades-sede fosse atendida pela coleta seletiva. Entretanto, restando um mês para abertura da competição mundial, as cidades não estão preparadas para a separação e destinação adequada dos resíduos. Em nenhum caso, os índices de reciclagem chegaram a 10%. Porto Alegre foi a cidade sede com melhores resultados, coletando adequadamente 9,1% do lixo produzido. O montante de resíduos produzidos nelas representa 35% de toda a produção nacional, são, aproximadamente, 91 mil toneladas de lixo diário, que acabam em lixões ou aterros sanitários.

Os especialistas explicam que este cenário é fruto de décadas sem que houvesse uma preocupação específica com a estruturação das cidades para o descarte ecologicamente correto do lixo. Apenas há três anos foi aprovada a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que determina o fim dos lixões e torna os fabricantes responsáveis pelo descarte adequado das embalagens pós-consumo.

Cachoeirinha mais limpa

No começo de abril, o município de Cachoeirinha iniciou uma ação para reduzir lixões irregulares e ampliar as possibilidades de depósito de resíduos pela comunidade. 900 contêineres começaram a ser instalados nas principais avenidas e ruas da cidade, modernizando o sistema de coleta do município através de um investimento de cerca de R$ 7 milhões.

A instalação iniciou pela Avenida Flores da Cunha, seguindo para os bairros. Até o final de abril, 450 contêineres estão instalados, o restante estará disponível para uso a partir do segundo semestre, de acordo com a Secom.

Entre as grandes vantagens da coleta automatizada está a garantia de agilidade, segurança e muita higiene ao processo, deixando as vias públicas mais limpas. O Prefeito Vicente Pires destaca que o objetivo da ação é oportunizar à comunidade mais comodidade. “Esses equipamentos vão aumentar a capacidade de armazenagem, com isso vai reduzir a exposição de lixo nos passeios. Não queremos mais ver resíduos dispensados em leitos de ruas, canteiros e terrenos baldios e isso será falado com a comunidade”, afirmou o prefeito.

A tradicional montanha de lixo em frente às casas e estabelecimentos comerciais termina, evitando também a ação de cães, gatos, ratos e outros animais. O modelo de coleta, que teve sua origem na Europa há quase três décadas, foi instalado nas comunidades gaúchas de Bagé, Cachoeira do Sul, Rio Pardo, Taquari, Venâncio Aires e Porto Alegre.
Acondicionados em sacolas, os resíduos podem ser levados para os contêineres a qualquer hora do dia ou da noite. A coleta será diária. Com isso, o sistema anterior de recolhimento não funcionará mais nas quadras onde foram implantados esses equipamentos. Entretanto, apenas a Avenida Flores da Cunha possui contêineres de resíduos orgânicos e sólidos (papel, plástico, vidro e metal), identificados com adesivo laranja na tampa. Nos bairros, foram instalados apenas os equipamentos para coleta dos resíduos orgânicos, a qual, como já foi informado, será diária a fim de evitar acúmulo de resíduos. A coleta dos resíduos sólidos nos bairros permanece igual, nos mesmos dias e horários no Interior 1 e às quartas-feiras em todo o restante da cidade, mediante agendamento pelo 3041.6218.

Dias de coleta seletiva nos bairros:

• Segunda-feira: Jardim América e Veranópolis
• Terça-feira: São Vicente de Paulo e Imbui
• Quarta-feira: Recolhimento com Agendamento em Empresas, Comércios e Residências (Lado Norte da Av Flores da Cunha)
• Quinta-feira: Parque da Matriz
• Sexta-feira: Eunice
• Sábados: Bom Princípio, Vale do Sol e Borracharias (Pneus em Geral)

Entulho

A comunidade conta com dois ecopontos, um na zona sul, atrás do Shopping do Vale, e outro na zona Norte, ao lado da Igreja Santa Clara, na Granja. Os locais permitem o descarte de restos de obra, galhos, caliça, móveis, entre outros, gratuitamente. A prefeitura também faz o recolhimento gratuito desses materiais na casa do cidadão, mediante agendamento.

Denúncia

O governo municipal adotou a Patrulha Ambiental, que atende denúncias da comunidade a respeito do descarte irregular do lixo, com o deslocamento de fiscais ambientais e autuação do infrator em flagrante. A multa pode ultrapassar R$ 2 mil. O serviço deve ser acionado pelo telefone 153.

 

Guia do cidadão sustentável

O que é reciclável?
É reciclável todo o resíduo descartado que constitui interesse de transformação de partes ou o seu todo. Esses materiais poderão retornar à cadeia produtiva para virar o mesmo produto ou produtos diferentes dos originais. Por exemplo: Folhas e aparas de papel, jornais, revistas, caixas, papelão, PET, recipientes de limpeza, latas de cerveja e refrigerante, canos, esquadrias, arame, todos os produtos eletroeletrônicos e seus componentes, embalagens em geral e outros.

Como separar o lixo doméstico?
• Não misture recicláveis com orgânicos – sobras de alimentos, cascas de frutas e legumes. Coloque plásticos, vidros, metais e papéis em sacos separados.
• Lave as embalagens do tipo longa vida, latas, garrafas e frascos de vidro e plástico. Seque-os antes de depositar nos coletores.
• Papéis devem estar secos. Podem ser dobrados, mas não amassados.
• Embrulhe vidros quebrados e outros materiais cortantes em papel grosso (do tipo jornal) ou colocados em uma caixa para evitar acidentes.

O que não vai para o lixo reciclável?
Papel-carbono, etiqueta adesiva, fita crepe, guardanapos, fotografias, filtro de cigarros, papéis sujos, papéis sanitários, copos de papel. Cabos de panela e tomadas. Clipes, grampos, esponjas de aço, canos. Espelhos, cristais, cerâmicas, porcelana. Pilhas e baterias de celular devem ser devolvidas aos fabricantes ou depositadas em coletores específicos.

E as embalagens mistas: feitas de plástico e metal, metal e vidro e papel e metal?

Nas compras, prefira embalagens mais simples. Mas, se não tiver opção, desmonte-a separando as partes de metal, plástico e vidro e deposite-as nos coletores apropriados. No caso de cartelas de comprimidos, é difícil desgrudar o plástico do papel metalizado, então descarte-as junto com os plásticos.

Outras dicas:

Papéis: todos os tipos são recicláveis, inclusive caixas do tipo longa-vida e de papelão. Não recicle papel com material orgânico, como caixas de pizza cheias de gordura, pontas de cigarro, fitas adesivas, fotografias, papéis sanitários e papel-carbono.

Plásticos: 90% do lixo produzido no mundo são à base de plástico. Por isso, esse material merece uma atenção especial. Recicle sacos de supermercados, garrafas de refrigerante (pet), tampinhas e até brinquedos quebrados.

Vidros: quando limpos e secos, todos são recicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros de automóveis ou temperados, cerâmica e porcelana.

Metais: além de todos os tipos de latas de alumínio, é possível reciclar tampinhas, pregos e parafusos. Atenção: clipes, grampos, canos e esponjas de aço devem ficar de fora.

Isopor: Ao contrário do que muita gente pensa, o isopor é reciclável. No entanto, esse processo não é economicamente viável. Por isso, é importante usar o isopor de diversas formas e evitar ao máximo o seu desperdício. Quando tiver que jogar fora, coloque na lata de plásticos. Algumas empresas transformam em matéria-prima para blocos de construção civil.

 

 

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

Escrito por mais materia

There are 0 comments

Leave a comment

Want to express your opinion?
Leave a reply!