Trânsito
0

“Minha escolha faz a diferença no trânsito”

Texto  |  Denise de Oliveira Milbradt | Foto | Divulgação Esse é o tema definido para a Semana Nacional de Trânsito deste ano pelo Denatran, que acontece anualmente entre os dias 18 e 25 de setembro. As ações são desenvolvidas em todos os municípios e está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), cujo objetivo […]

“Minha escolha faz a diferença no trânsito”

Texto  |  Denise de Oliveira Milbradt | Foto | Divulgação

Esse é o tema definido para a Semana Nacional de Trânsito deste ano pelo Denatran, que acontece anualmente entre os dias 18 e 25 de setembro. As ações são desenvolvidas em todos os municípios e está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), cujo objetivo é conscientizar a sociedade para uma adoção de comportamentos positivos em relação à valorização da vida no sentido de garantir o direito de ir e vir dos cidadãos. Especialistas sugerem a adoção de algumas atitudes simples, porém efetivas para evitar acidentes, como não dirigir alcoolizado; não usar o celular enquanto dirige; respeitar o limite de velocidade; uso do cinto de segurança; atravessar nas faixas de pedestres, além de conhecer e respeitar os códigos e sinais de trânsito.

Em Cachoeirinha, de acordo com o Detran/RS, de 2010 a 2016, o número de acidentes e vítimas fatais na cidade mantém uma média de 10,5 por ano, cada uma das ocorrências: foram 73 acidentes e 74 vítimas no período. A grande maioria das mortes acomete os homens: 78%. Além disso, as mortes se concentram na faixa etária dos 18 aos 29 anos e 65 aos 74 anos, ou seja, os jovens e os idosos são o público mais vulnerável à violência no trânsito.

Outro dado notável: 65% das vítimas fatais são de pedestres e motociclistas. O atropelamento é o que mais mata (35,6%), seguido da colisão de veículos (31,5%). O dia da semana que mais faz vítimas é o sábado à noite.

Já no município de Gravataí, o que mais chama a atenção é o número de veículos circulando ao mesmo tempo, o que seria um fator complicador para a elevação do número de acidentes. Entre os anos de 2013 e 2016 este número cresceu 15%, todavia, o número de acidentes de trânsito que resultaram em mortes caiu 53,45%. Na contramão desse crescimento, enquanto lá em 2013 aconteceram 58 acidentes com vítimas fatais no perímetro urbano de Gravataí, o ano passado fechou com menos da metade, ou seja, 27 casos de acidentes que resultaram em óbitos. Entre os 11 municípios do Rio Grande do Sul que contam com uma frota superior a 100 mil veículos, Gravataí é o município com maior redução no número de acidentes com mortes.

CNH eletrônica – Uma versão de teste da Carteira Nacional de Habilitação eletrônica está disponível para ser baixada pelos motoristas. O documento digital será usado a partir de fevereiro de 2018, e terá o mesmo valor jurídico do impresso. A versão de demonstração do aplicativo CNH-e está disponível apenas para aparelhos com sistema operacional Android e pode ser encontrado na internet. Com a CNH eletrônica, os agentes de trânsito poderão checar os dados dos documentos por meio do mesmo aplicativo, que fará a leitura do QRCode. Assim, o motorista poderá apresentar o documento digital a qualquer autoridade de trânsito, evitando multas caso tenha esquecido ou perdido o documento impresso.

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

Escrito por trcom

There are 0 comments

Leave a comment

Want to express your opinion?
Leave a reply!