Educação
0

Escola Sesi Gravataí na 10ª World Mathematics

As disciplinas de exatas, como Química, Física e Matemática sempre causaram apreensão e fascinação entre os estudantes. Mas, quando estudar vira um desafio a ser resolvido de maneira coletiva e divertida? O resultado não poderia ser outro: nota 10. Quem fez o dever de casa com louvor foi a Escola Sesi de Ensino Médio de […]

Escola Sesi Gravataí na 10ª World Mathematics

As disciplinas de exatas, como Química, Física e Matemática sempre causaram apreensão e fascinação entre os estudantes. Mas, quando estudar vira um desafio a ser resolvido de maneira coletiva e divertida? O resultado não poderia ser outro: nota 10.

Quem fez o dever de casa com louvor foi a Escola Sesi de Ensino Médio de Gravataí, que garantiu a participação de seis alunos na 10ª World Mathematics Team Championship, que será realizada em Beijing, na China, de 21 a 25 de novembro. Eles conquistaram a classificação depois dos resultados obtidos nas etapas estadual e nacional da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteira (MSF), na qual receberam medalhas de bronze e prata.

Os estudantes do primeiro ano Gustavo dos Santos Mendes e Luís Gabriel Figueiredo Gomes; do segundo ano, Pedro Henrique Ferreira Pereira e Arthur Matias Graeff; e do terceiro ano Cecília Hernandez Alvarez e Amanda Petter integram a equipe. Os alunos são filhos de trabalhadores da indústria e quatro deles vieram de um Ensino Fundamental em escolas públicas.

A professora de matemática, Guiomar de Souza, que vai acompanhar a turma na estadia chinesa, destaca o resultado. “A classificação para essa Olímpiada Internacional na China representa para mim e para a escola um crescimento e um reconhecimento do nosso trabalho. Ela representa que a metodologia do Sesi funciona, ela é o resultado do esforço de todos os professores da Escola Sesi, da esquipe diretiva, dos alunos e dos pais que apostaram na escola e acreditaram nessa escola como uma nova metodologia de ensino para seus filhos. É uma responsabilidade muito grande, mas também um desafio maravilhoso para todos nós”, frisa.

Aos 18 anos e no terceiro ano do Ensino Médio, Amanda Petter conta que sempre teve muita dificuldade na Área de Exatas, principalmente na Matemática. “Eu já tive dificuldade inclusive aqui no Sesi. Mas a Guiomar e os demais professores de Matemática me ajudaram muito em relação a isso. Com certeza eu evoluí muito tanto no entendimento da Matemática quanto na lógica das questões”, conta.

Já para Arthur Matias Graeff, 16 anos, do segundo ano do Ensino Médio, a proposta da escola o ajudou a querer sempre mais, ir atrás dos objetivos e, assim, ser recompensado. “A proposta da Escola Sesi gira muito em torno disso. Então, acredito que os alunos que se esforçam e querem aprender, acabam se destacando, como aconteceu comigo e com meus colegas que vamos representar o Brasil nessa competição”, comemora.

Cecília Hernandez Alvarez, aos 18 anos, também aluna do último ano do Ensino Médio, explica que a Matemática é uma integração. “Eu já tive aula de Português, Matemática e Música juntos. Dessa forma, o ensino fez muito mais sentido. Eu passei a gostar de Matemática, mas nunca pensei que chegaria ao patamar em que chegamos. Eu fiquei muito feliz, mas sem reação quando recebi a notícia”, comenta.

Escola Sesi (1) site

Metodologia campeã

Além dos conhecimentos em matemática, as aulas de língua estrangeira, especialmente o Inglês, foram levados em consideração para a classificação. A metodologia de ensino é sustentada em projetos de pesquisa ativa, busca o desenvolvimento integral do estudante e a construção de competências e habilidades necessárias ao Mundo do Trabalho. “Temos um trabalho totalmente pautado no aprender fazendo, com laboratórios, salas ambientes, trabalhando a gameficação, que é a capacidade de transportar para jogos assuntos que são importantes para o jovem pensar e refletir, aproveitando e reconhecendo sua necessidade de se movimentar”, explica a gerente da área de Educação do Sesi-RS, Sônia Bier. O currículo é 50% voltado para Matemática e Ciências da Natureza, 30% para Linguagens e 20% para as áreas de Humanas.

A diretora da Escola Sesi Gravataí, Bianca Baldissera Visentin, acredita que os resultados tão positivos devem-se às metodologias praticadas na unidade, que primam pela resolução de problemas, desenvolvimento de competências e habilidades que favoreçam os alunos para a busca dos seus ideais particulares. “O princípio da escola é o trabalho coletivo e a Olimpíada Internacional Sem Fronteira (MSF) propõe justamente isso”, completa.

Para 2020, de acordo com Bianca, o objetivo é aperfeiçoar ainda mais as metodologias praticadas atualmente pela instituição e continuar participando das competições estaduais e nacionais nas áreas tecnológicas, um dos pontos mais fortes da atual equipe de educadores. “Ainda, assim, nosso alvo nunca foi a premiação. A participação do World Mathematics é apenas uma consequência”, pondera.

A classificação para a competição internacional se soma a outros resultados obtidos pelos alunos das Escolas Sesi de Ensino Médio, que iniciaram as atividades em 2014, com a primeira unidade em Pelotas. De lá para cá, foram cerca de 60 premiações em eventos científicos de abrangência nacional e internacional – incluindo 32 nas áreas de Ciências da Natureza, Matemática e Engenharia.

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

Escrito por trcom

There are 0 comments

Leave a comment

Want to express your opinion?
Leave a reply!