Empreendedorismo
0

Confmark: registrando marcas e patentes

Texto | Denise de Oliveira Milbradt |  Foto | Divulgação Muitas vezes não percebemos, mas o maior patrimônio de uma empresa é a sua marca. Quanto mais forte e reconhecida, maior o seu valor, prestígio, fidelidade e até mesmo carisma perante o mercado e consumidores. Quem registra uma marca, garante ao titular o direito ao […]

Confmark: registrando marcas e patentes

Texto | Denise de Oliveira Milbradt |  Foto | Divulgação

Muitas vezes não percebemos, mas o maior patrimônio de uma empresa é a sua marca. Quanto mais forte e reconhecida, maior o seu valor, prestígio, fidelidade e até mesmo carisma perante o mercado e consumidores. Quem registra uma marca, garante ao titular o direito ao uso exclusivo em todo território nacional, podendo então impedir que terceiros façam o uso sem sua autorização.

A Confmark foi fundada em 2013 pelo sócio-gerente Gilberto da Silveira, e através do monitoramento constante dos processos administrativos, bem como o desenvolvimento do mercado, tem como objetivo prestar serviços com o propósito de garantir que uma marca seja preservada, e que seus proprietários não corram o risco de perdê-la. Atuando na área há mais de 20 anos, a empresa tem sede em Cachoeirinha, mas por se tratar de um serviço, e com a facilidade e tecnologia atual, atende empresas de qualquer região do Brasil e até no exterior.

Mesmo não sendo obrigatório, o primeiro passo para registrar uma marca é buscar a anterioridade desta e do produto/serviço para avaliar a viabilidade do registro. Esta pesquisa, segundo Silveira é realizada no banco de dados do INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial. “O tempo para obter o registro é relativo, mas em média a tramitação do processo administrativo leva 30 meses. É importante ressaltar que após o requerimento do processo a empresa terá a prioridade sobre a marca. No caso da descoberta de outra empresa já em atividade, e não havendo nenhuma possibilidade de reverter a situação, não nos resta outra opção a não ser orientar o cliente a trocar sua identidade. Por mais trágica que seja essa mudança, é melhor realizá-la antes de receber uma medida judicial por parte da empresa detentora do registro, por isso a importância de registrar uma marca. Ela deve ser tratada como prioridade pela empresa e sua proteção vem em primeiro lugar”, explica.

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

Escrito por trcom

There are 0 comments

Leave a comment

Want to express your opinion?
Leave a reply!