Educação
0

3 anos do projeto Leia Gravataí

Texto |  Denise de Oliveira Milbradt | Fotos | Arquivo Pessoal  O casal de comerciantes Eduardo Miranda (57 anos) e Maria Emília Resendes (43), além de formados em Pedagogia, desde 2012, ainda compartilham uma paixão em comum: os livros. O hábito da leitura faz parte das suas rotinas, mas eles queriam também inspirar outras pessoas. Foi […]

3 anos do projeto Leia Gravataí

Texto |  Denise de Oliveira Milbradt | Fotos | Arquivo Pessoal 

O casal de comerciantes Eduardo Miranda (57 anos) e Maria Emília Resendes (43), além de formados em Pedagogia, desde 2012, ainda compartilham uma paixão em comum: os livros. O hábito da leitura faz parte das suas rotinas, mas eles queriam também inspirar outras pessoas. Foi quando, em 13 de janeiro de 2016, lançaram o projeto conhecido como Leia Gravataí. Trata-se, basicamente, de uma forma que encontraram para facilitar o acesso aos livros pelas pessoas que passassem defronte ao seu estabelecimento comercial, localizado na parada 63 de Gravataí. Lá, as pessoas encontram um stand e uma geladoteca recheados de obras nos mais variados estilos, que podem ser retirados gratuitamente. Eles são frutos de doações de amigos do casal e de outros usuários do projeto.

“Somos pedagogos e como tais, somos inquietos, somos inquiridores, somos movidos a desafios”, explica Eduardo. Foi quando surgiu a ideia de desburocratizar o acesso à literatura. Os livros são de todos os gêneros, do religioso, romance, literaturas brasileira e estrangeira, manuais, cursos, dicionários até culinária. O objetivo é atingir o maior número possível de pessoas, que possuem gostos e estilos variados. Os mais requisitados, no entanto, são os infantis e infanto-juvenis. Todavia, jornais e livros ditos escolares (didáticos) não tem saída.

O sistema de empréstimo é facilitado, basta chegar, escolher e levar. Alguns não interagem com o casal, outros levam mais do que um livro, deixam um pouco da sua história. Viram amigos e frequentadores assíduos. “Para nós é uma satisfação a surpresa dos que ainda não conheciam o projeto e facilitar esse processo de amor às obras, sem custo, sem formalidade”, frisa orgulhoso.
Ele ainda defende a criação de campanhas similares ao Leia Gravataí para que assim seja fomentada a destinação correta dos livros, que já cumpriram o seu papel. “As pessoas têm verdadeiras preciosidades guardadas em casa, na estante ou em caixas, sem estarem cumprindo sua função: serem lidos. Elas precisam entender que o livro se deteriora quando não é manuseado e que desapegar está na moda”, acrescenta o comerciante pedagogo.

Mais do que livros, quem passar pela banca de livros do projeto, também vai encontrar os três mascotes do projeto, zelando pelas obras. São os gatos do casal, que fazem questão de acompanhar todas as ações dos comerciantes…e, talvez, também queiram ler. Acesse o blog do projeto e conheça um pouco mais da história dos mascotes do projeto e também dicas de leitura.

Um dos mascotes do projeto convida para a leitura

Um dos mascotes do projeto convida para a leitura

Saiba mais

Facebook – Projeto LEIA Gravataí

Blog – http://projetoleiagravatai.blogspot.com

Fone/watts – (51) 991858555

Onde doar e encontrar os livros do projeto?

– Rua lateral a RS 020, nº 1736
– Bairro Morada do Vale I – Parada 63

– De segunda a sábado das 8h30 às 19h e aos domingos das 8h30 às 12h

 

Compartilhar:
  • googleplus
  • linkedin
  • tumblr
  • rss
  • pinterest
  • mail

Escrito por trcom

There are 0 comments

Leave a comment

Want to express your opinion?
Leave a reply!